quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

amor e ódio - ocupam o mesmo lugar na mente



Muitos afirmam que o amor e o ódio convivem dentro da mesma estrutura do cérebro, e não assim tão opostos, no mínimo tem o mesmo parentesco. Entretanto alguns novos estudos mostram que o ódio apesar de ser um sentimento, paradoxalmente ele é racional.
No cérebro de uma pessoa quando ela vê alguém que odeia sofre uma transformação inesperada, as regiões do cérebro ativadas estão mais associadas a razão e a capacidade de prever o que a outra pessoa vai fazer. Enfim o ódio não é assim tão irracional e cego como muitos querem fazer crer.
Estas pesquisas constataram que em alto grau o ódio é associada a lógica e planejamento. A pessoa quando sente ódio acaba mobilizando partes do corpo para o ataque e defesa, e se prepara para antecipar aos movimentos críticos desta outra pessoa, apesar de haver ai um contexto de vingança, em primeiro lugar está a idéia de ferir e prejudicar esta outra pessoa.
Em posse destes estudos, o cientistas alegam que podem estudar o cérebro e confirmar com certeza quando alguém possa ter cometido um ato de violência, enquanto influenciado pelo ódio, assim poderia até ser utilizado como prova em um tribunal.
Bem, quem sente ódio por outra, em tese sempre está preparada para atingir esta outra pessoa. Ainda bem que deste pecado racional que é o ódio estou livre, pelo menos por enquanto.

3 comentários:

pontorouge disse...

Acho que o ódio se assemelha à paixão, tal qual a raiva ao amor. O ódio e a paixão são arrebatadores, irracionais, animais - e, um dia passam. Já a raiva e o amor, esses sim, são racionais e podem ser cultivados com o tempo.

beijo rouge

Dani

' JosepH disse...

Amor e ódio são irmãos, mas ainda não fizeram um exame de DNA.
= 3

Daniel Savio disse...

Mas o problema que atualmente eu tenho ódio a um cara que tive diferença de opinião...

Hua, kkk, ha, ha, brincadeira com um fundo de verdade.

Fique com Deus, menina Malvada.Online.
Um abraço.

Seguidores